20aovivo

20 Ao Vivo – Meu General

20 Ao Vivo – Meu General

Diogo Santos
Diogo Santos
Filho do Rock, tornou-se Imaginário após detectar uma gralha na reportagem do projecto no concerto dos Xutos & Pontapés no Dragão Caixa. De 2012 para cá, tornou-se amigo de Zé Pedro, já guiou o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa pelos camarins do antigo Pavilhão Atlântico e transpõe todas essas experiências nas reportagens que faz. Sempre ao abrigo do verdadeiro Acordo Ortográfico e não do falsificado.

Depois de lançar “Primeiras Impressões” em 2013, Meu General regressa aos registos discográficos, com “20 Ao Vivo”. Uma rampa de lançamento para o novo disco de originais que surgirá em 2019. 15 músicas gravadas a 13 de Junho do presente ano, para uma plateia de 20 pessoas, no GPM Studio.

Alinhamento do disco:

1 – Limite
2 – Como eu
3 – Planos pra Mudar
4 – Vento Silêncio
5 – Crackerman
6 – Conto de Fdas
7 – Diz
8 – Nada de Novo
9 – Impulso Inquieto
10 – A Vida Está Lá Fora
11 – Voz Dormente
12 – Televisão
13 – Attitude
14 – Dente por Dente
15 – Ter em Conta

Classificação: 7/10

Neste disco podemos verificar uma banda mais oleada e uma voz mais arrojada, comparado com aquilo que foi visto anteriormente. Temas já rodados na estrada como “Planos pra Mudar”, “Voz Dormente” ou “Ter em Conta” sobem a outro patamar e permitem um bom encaixe de temas frescos como “Limite” ou “Dente por Dente”. É igualmente interessante observarmos Meu General a sair da sua zona de conforto, cantando dois covers em inglês, “Crackerman” e “Attitude”.

Num bom disco de rock, a única crítica a apontar é o formato em que “20 Ao Vivo” é gravado. O conceito é engraçado, no entanto, numa banda em crescimento, um disco gravado ao vivo noutro espaço, poderia atribuir mais promoção à banda e à causa em questão.

O disco pode ser adquirido através da Frankenstein Records, cujos contactos aqui deixamos:
Facebook
• Email: frankenstein.records.label@gmail.com

Diogo Santos
Diogo Santos
Filho do Rock, tornou-se Imaginário após detectar uma gralha na reportagem do projecto no concerto dos Xutos & Pontapés no Dragão Caixa. De 2012 para cá, tornou-se amigo de Zé Pedro, já guiou o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa pelos camarins do antigo Pavilhão Atlântico e transpõe todas essas experiências nas reportagens que faz. Sempre ao abrigo do verdadeiro Acordo Ortográfico e não do falsificado.