Alphaville ensinaram o Coliseu a ser "Forever Young" - Imagem do Som
19319
post-template-default,single,single-post,postid-19319,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive
 

Alphaville ensinaram o Coliseu a ser “Forever Young”

A banda germânica Alphaville atuou no passado dia 18 de novembro no Coliseu do Porto. Longe do estrelato dos anos 80 e 90, mostraram que existe realmente uma fórmula para a juventude eterna.

O pano abre e os ALPHAVILLE estão em palco. Sem uma grande entrada apoetótica, soam os primeiros acordes de HOMEOS. Marian Gold tem uma silhueta bastante diferente da dos anos 90. Irreparavelmente mais velho, com barba e com uns quantos quilinhos a mais, quase que nos engana. Leva-nos a questionar “onde está o verdadeiro vocalista dos ALPHAVILLE?. Todo de preto, não há o que o impeça de se mexer ao som de I DIE FOR YOU TODAY GRAVITATION BREAKDOWN , entre outras. 

Muito longe do que se imaginava, até pelo pouco conhecimento existente quanto aos temas “extra hits” da banda alemã, o tom foi variando de uma música para a outra. Oscilando entre registos mais calmos e outros completamente alucinantes, talvez estivessem muito à frente, durante as décadas de maior sucesso. Uma banda desaparecida, que qual Phoenix ressurge das cinzas, apresenta-se como capaz de concorrer com outras bandas da atualidade.

O concerto decorre sem granes conversas. O intervalo entre musicas serve apenas para molhar os lábios até que se comece tudo de novo. Foi apenas para apresentar NEVERMORE que Marian Gold fez uma breve introdução. “Esta música fala das lutas internas entre o bem e o mal. Fala sobre as vezes que somos assombrados por pensamentos menos bons e que nos forçam a tomar decisões erradas…“. Seguiu-se mais um dos temas fortes da noite. É óbvio que BIG IN JAPANSOUNDS LIKE A MELODY ou FOREVER YOUNG levaram a sala ao rubro. Sem desiludir, todos vibraram com os hits de outros tempos. Quantas lembranças não se viveram esta noite no Coliseu do Porto?

Todas as músicas foram a primeira… (eu explico) A força, a vontade e a forma como se manteve durante as quase duas horas de concerto, levou muitos a pensarem se não se trataria de playback. Por entre um apontamento ou outro, percebia-se que não, mas ainda assim era perfeito demais para ser verdade.

Contudo, o descalabro aconteceu já no encore quando, durante MONKEY IN THE MOONMarian Gold parece não ter acertado uma única nota. Não, não é uma crítica destrutiva… Simplesmente notava-se que, mais do que o público, a própria banda estava ali para curtir! O entusiasmo era tanto e a forma como o público correspondeu era tão comovente que acabou por se esquecer … de cantar.

Um grande concerto de uma grande banda que afinal não conhecia como pensava!

Fiquem com a Set List do espetáculo de hoje:

  • Homeos
  • I Die For You Today
  • Gravitation Breakdown
  • Heartbreak City
  • Rendezvoyeur
  • Big In Japan
  • Dance With Me
  • Heaven On Earth
  • Around The Universe
  • Jerusalem
  • Nevermore
  • A Victory Of Love
  • Sounds Like A Melody
  • Forever Young

— encore —

  • The Jet Set
  • Song For No One But Myself
  • Monkewy In The Moon
  • Beyond The Laughing Sky

 

Galeria: