Backstreet Boys: 26 anos depois e o ADN da banda continua intacto

A maior banda masculina do mundo escolheu Lisboa para dar a conhecer o mais recente álbum DNA e iniciar aquela que é a maior digressão dos últimos 18 anos
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Já se passaram 26 anos desde o início dos Backstreet Boys, 21 anos desde a última vez que atuaram em Portugal e meia dúzia de anos desde que o último álbum tinha sido lançado (em 2013). A maior banda masculina do mundo escolheu Lisboa para dar a conhecer o mais recente álbum DNA (lançado em janeiro deste ano) e iniciar aquela que é a maior digressão dos últimos 18 anos da sua carreira. No entanto, os fãs queriam recuperar a ausência de concertos em Portugal e a banda sabia disso.

Pouco depois das 21h todas as luzes se apagam e surge, num ecrã gigante preto com letras douradas, o nome dos álbuns que marcaram os 26 anos da banda e os cinco integrantes a serem mostrados como pequenas personagens de um videojogo. Não fosse esta uma verdadeira viagem no tempo. “I Wanna Be With You” do álbum homónimo de 1997 foi o primeiro tema a ser tocado na Altice Arena e que em poucos segundos deixou a plateia em êxtase, seguiu-se “The Call” de Black & Blue de 2000 e “Don’t Want You Back” do álbum de maior sucesso da banda até aos dias de hoje, Millennium de 1999.

Depois de animar os fãs com temas dos álbuns mais mediáticos da carreira, chegou a altura de mostrarem o verdadeiro DNA da banda. As músicas do álbum mais recente foram apresentadas individualmente por cada um dos cantores. Brian Littrell foi o primeiro com “Nobody Else”, mais tarde Howie Dorough com Chateau e Nick Carter com “The Way It Was”. Kevin Richardson e AJ McLean protagonizaram um dos momentos mais caricatos da noite. Fizeram “algo que nunca tinha sido feito num concerto dos Backstreet Boys”, trocaram de roupa atrás de umas caixas em pleno palco e atiraram as suas roupas interiores porque era isso que lhes “costumavam fazer”. Depois deste momento que resultou numa gritaria enorme entre as fãs, os dois apresentaram ao mundo “Passionate”. Além destes temas, pudemos ouvir também “New Love”, “Chances”, “No place” e “Don’t Go Breaking My Heart” do novo álbum.

Apesar desta digressão marcar o lançamento de DNA, as músicas que marcaram a maioria do concerto pertenciam aos álbuns mais antigos da boysband. “Incomplete”, “Get Down (You’re The One For Me)”, “Show Me The Meaning of Being Lonely”, “Shape of My Heart” e “I Want It That Way” foram apenas alguns dos 30 temas que os Backstreet Boys cantaram (e encantaram) para uma Altice Arena praticamente esgotada e que ao longo de quase duas horas nos fizeram viajar 20 anos atrás no tempo. Os anos de ouro dos “fantástico cinco” já passaram e eles sabem lidar com isso. Todo o cenário do concerto estava programado para ser uma verdadeira viagem nostálgica: as roupas, os microfones cheios de cores, as danças características da década de 90 e os pequenos vídeos projetados que mostravam a evolução da banda.

Para o encore, ficaram reservadas “Don’t Go Breaking My Heart” e “Larger Than Life” que culminaram numa grande festa com foguetes e com toda a plateia a dançar e a cantar.

OUTRAS REPORTAGENS