Capitão Fausto: A invenção de um álbum feliz-badalónico

254

O quarto álbum de originais dos Capitão Fausto: “A Invenção Do Dia Claro” já está disponível para todos. Não está esquecido o indie pop tão característico mas a banda também quis entrar em mundos que até aqui ainda não tinham sido explorados: as baladas.

Neste novo trabalho é notório novas influências musicais, que passam dos problemas da passagem da adolescência para a vida adulta de “Capitão Fausto têm os dias contados”, do (terceiro álbum) para um novo segmento de vida mais virado para as conquistas da vida adulta, as inquietações da vida ou as próprias lembranças dos anos de adolescência.
Com um total de oito novas canções, Domingos, Francisco, Manuel, Salvador e Tomás entram em 2019 com este álbum recheado de camadas de alegria e melancolia, coros agudos e sintetizadores apurados. As percussões, as cordas e a voz inconfundível de Tomás Wallenstein estão com o mesmo empenho. Contudo notam-se uns Capitão Fausto mais sentimentais mas também mais confiantes, não começasse “A Invenção do Dia Claro” com “Certeza”, um tema ritmado que esconde a melancolia noutras canções.

Este mergulho pop de anos 80 com cerca de 30 minutos de músicas deixam os ouvintes a pensar sobre temas tão peculiares da vida como “Boa Memória”, que retrata a importância de pessoas próximas para nos relembrarem boas histórias da vida, “Sempre Bem” que nos auxilia em momentos de tristeza para o lema de “há gente a passar pior” ou “Faço As Vontades” que acentua as relações entre mãe-filho, questões tão mínimas mas super importantes no nosso caminho de adultos.

Nesta mistura entre uma boa vibe com moral de história incluída, juntam-se músicas mais intrusivas, pausadas e tocantes. “Amor, a nossa vida”, aquela que já foi auto-intitulada “badalona” deste disco, leva-nos também por caminhos ternurentos e ao mesmo tempo introspectivos, onde o amor (sempre esse!) resolve e é a cura de todos os males. “Outro lado” também entra neste registo de melancolia com uma mensagem de final feliz entre relações.

Na composição deste álbum, os Capitão Fausto viajaram até ao Brasil (Red Bull Studios, em São Paulo). Apesar de não se notar as influências brasileiras no disco, é uma certeza este nível de proximidade com o ouvinte, seja pela influência das letras, seja pela música doce, alegre e triste que saem dos instrumentos destes cinco (já adultos) de Lisboa.

Avaliação Imagem do Som: 4/5 ou 8/10.