Coliseu Desconcertado

César Mourão é um comunicador nato, faz rir com gosto e ri-se das próprias piadas, Luísa, Miguel e Zambas vocês são excelentes naquilo que fazem!
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Ontem, à noite, o Coliseu do Porto, foi palco de um Desconcerto brilhante!

Um espetáculo único, todo ele feito de improviso e com a ajuda do público.

Os protagonistas, César Mourão, António Zambujo, Miguel Araújo e Luísa Sobral, esbanjaram talento e “ savoir-faire “ na arte da escrita, música e interpretação feitos “ à pressão “.

Este Desconcerto seguiu o alinhamento/fio condutor dos outros já apresentados, mas como os próprios referem os resultados são sempre diferentes, uma vez que o público que é selecionado ou que aceita subir ao palco para participar é diferente, bem como os convidados do programa.

O espetáculo teve início com a Carteira da Iara, César Mourão tirou tudo o que estava dentro da carteira da participante, enquanto Miguel Araújo e Luísa Sobral improvisavam no momento uma letra, sendo depois esta cantada à guitarra por António Zambujo, também de improviso, todo o momento foi hilariante e brilhante!

O segundo momento foi a chamada ao palco de um jovem casal, com quem César Mourão já tinha “ brincado “ no início do deste grande Desconcerto, por se estarem a beijar!

A Ângela e o Diogo, relatam ao seu interlocutor, os “ podres “ da relação, Luísa Sobral fica encarregue de improvisar a letra sobre o que a Ângela crítica sobre Diogo e Miguel Araújo vice-versa. O final disto tudo culmina com uma brutal desgarrada entre António Zambujo, sobre Diogo,  e César Mourão sobre a Ângela. Mais um momento excecional!

E eis que se segue um outro grande momento, é chamado ao palco o primeiro convidado da noite, o Coliseu, cheio, vai ao rubro com a entrada em palco de Pedro Abrunhosa.

É chamado ao palco, mais uma vez, de forma aleatória, um elemento da assistência para dar início à prova a O Retrato, os nossos mestres têm de escrever uma letra, mediante as características do elemento do público que entretanto está em palco atrás de uma moldura.

O que posso dizer, mais um momento “ de se lhe tirar o chapéu “!

Mas, enquanto os nossos autores observam o retrato e dão asas à imaginação, César Mourão, deambula pela plateia à procura de um qualquer tipo de documento, sem letras muito pequenas, porque o Zambujo vê mal, para os dois interpretarem, ao estilo Bossa Nova, escolha feita pelo público. Então, surge, na voz de César Mourão e António Zambujo, uma interpretação, única e inimaginável, de uma Guia de Substituição de Documentos

Entretanto é chamada ao palco a segunda convidada da noite, Rosinha e o seu acordeão!

César Mourão, acaba por encontrar na plateia Salsa, dos Azeitonas, e este é convidado a subir ao palco para ajudar à desgarrada que de segue, mais um grande momento!

De seguida, o público é chamado a participar, como sempre ao longo do espetáculo, na escolha de quatro palavras, que foram, aniversário , atribuída a César Mourão, sorriso, atribuída a Luísa, castelo, a António Zambujo e bicicleta a Miguel, todos têm que improvisar uma letra e interpretá-la, outro momento hilariante!

O último momento da noite surge com a chamada ao palco de um rapaz e uma rapariga, ambos solteiros, livres e desimpedidos, a Ana Rita, médica e o Francisco, estudante de direito.

César Mourão, faz-lhes uma série de perguntas e depois fazem de conta que são um casal, são convidados a irem para detrás da moldura e fazerem de conta que são um casal! Mais um grande momento interpretado pelos génios que estão em palco!

Que grande noite, César Mourão é um comunicador nato, faz rir com gosto e ri-se das próprias piadas, Luísa, Miguel e Zambas como vocês são excelentes e excecionais naquilo que fazem!

Pedro Abrunhosa, que grande surpresa vê-lo como convidado neste Desconcerto e Rosinha, faz todo o sentido vê-la como convidada permanente desta série de Desconcerto!

A não perder! Absolutamente genial!!!

OUTRAS NOTÍCIAS

NOVAiDS White-01