De Braga a Marte em 30 Segundos

914
© Nuno Machado

Os americanos Thirty Seconds to Mars vieram inaugurar o Forum Braga. Na bagagem trazem muitas novidades, bem como uma enorme vontade de confraternizar com o público.

Em dia de inauguração oficial do Forum Braga, coube ao português XANDE fazer as honras de abertura. Perante um público que conhecia a maior parte do curto repertório.

Vasco Ramos acabou de lançar o seu primeiro álbum a solo, em fevereiro passado, que fez questão de tocar para a abertura dos Thirty Seconds to Mars. Filho do heavy metal, XANDE trouxe as suas influências musicais, com um sonoridade forte, para a cidade dos arcebispos.

© Nuno Machado

Xande – galeria completa AQUI

Soavam já as 21:30 quando os Thirty Seconds to Mars entraram em palco. Depois de Monolight Intro, e à semelhança do que aconteceu nas atuações anteriores da “The Monolight Tour”, os irmãos Leto não poupam energias e põem à prova quem esteve no recinto. Up in the Air é o primeiro tema a ser tocado, para loucura do público.

Sem tempo para descansar, seguiu-se o hit Kings and Queens. A energia de Jared Leto não dá tempo para o público respirar (mas também quem quer respira?). A sala é invadida por bolas gigantes em This is War, mas, a guerra, foi de diversão.

A banda cantou os seus grandes hits e algumas canções do seu novo álbum America.

© Nuno Machado

Num dos momentos mais emotivos da noite, Shannon Leto deixa a bateria para cantar (e encantar) com Remedy!

E quem não quer partilhar o palco com a sua banda favorita? Jared convidou um fã de mobilidade reduzida a juntar-se a eles em palco e, minutos mais tarde, o convite alargou-se aos mais sortudos da plateia.

A loucura e entusiasmo pelo momento instalou-se e, houve até quem (muita gente) saltasse as grades de proteção. O caos estava instalado até que, por ordem do músico, foram abertas as barreiras. Aqueles que tinham chegado mais cedo para ficar à frente do palco, tinham agora carta aberta para subir e juntar-se à sua banda preferida. Foi uma loucura saudável. De salientar que, mesmo depois desta atitude arriscada, não houve qualquer incidente que obrigasse à intervenção de bombeiros ou até mesmo do INEM.

Closer to the Edge, fãs no palco, uma explosão de confetis. Foi assim que terminou o primeiro concerto de Thirty Seconds to Mars em Portugal, que hoje atuam na capital. Não houve encore, mas com um final assim, ninguém ficou chateado.

Fica também o gesto da banda de ter oferecido 100 bilhetes gratuitos para o concerto na Altice Arena em Lisboa.

© Nuno Machado

Thirty Seconds to Mars – galeria completa AQUI