GABINETE DE IMPRENSA

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Do jazz ao folk, julho já mexe

Julho ainda está algo distante, mas há dois concertos confirmados que não vai querer perder: Kevin Morby e Nubya Garcia, nomes de excelência que poderá ver em Braga.

Kevin Morby, as canções velhas de um homem novo

Após quatro aclamados discos a solo e um admirável conjunto de colaborações, Kevin Morby está de regresso às edições discográficas com “Oh My God”, novo disco editado no passado mês via Dead Oceans. O quinto álbum de estúdio é também o mote para a sua passagem por Portugal. O cantautor norte-americano apresentar-se-á a solo para um concerto integrado no ciclo gnration@, iniciativa do gnration que dinamiza espetáculos musicais em locais emblemáticos da cidade de Braga. Morby atuará no jardim do Museu D. Diogo de Sousa.

Compositor e guitarrista, Morby estreou-se nos discos com “Harlem River” (2003), trabalho que o catapultou para uma atenção mediática em crescendo. Seguiram-se “Still Life” (2014), “Singing Saw” (2016) e “City Music” (2017), três álbuns que reforçaram a figura de Morby enquanto escritor de canções.

Nubya Garcia, a estrela do novo jazz britânico

Apontada como nome maior da efervescente cena jazz do Reino Unido, Nubya Garcia é a primeira confirmação para a quinta edição do ciclo Julho é de Jazz. Nubya estreou-se em Portugal na edição deste ano do festival Milhões de Festa, ano em que também conquistou o maior destaque da imprensa internacional e que a levou às melhores salas e festivais um pouco por todo o mundo. Apadrinhada por influentes do jazz moderno, como Gilles Peterson e a Jazz FM, os elogios à saxofonista são constantes. A revista Rolling Stone referiu que se há um nome a seguir no mundo do jazz esse nome é o de Nubya Garcia.

Baseada em Londres, filha de mãe oriunda do Guiana e pai do Trindade e Tobago, Nubya Garcia é a mais nova de quatro irmãos e foi introduzida à música aos quatro anos. Aos 10 anos, depois de uma passagem pelo violino e pelo piano, descobriu o saxofone. Com 13 anos, descobre o jazz através de dois discos oferecidos pela sua mãe, “Kind of Blue” (1959) de Miles Davis e “Maiden Voyage” (1965) de Herbie Hancock. John Coltrane, Dexter Gordon, Pharoah Sanders, Sonny Rollins e Fela Kuti são os saxofonistas que apontam como a sua maior influência.

O ciclo Julho é de Jazz decorrerá de 11 a 13 de julho e tem lugar no pátio exterior do gnration. Um reduzido número de passes gerais (50 passes) pode ser adquirido por apenas 20 euros cada.