João Pedro Pais enche a Sala Suggia

78
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A comemorar 20 anos de carreira, o cantor escolheu a Casa da Música, pois há muito que ansiava tocar neste espaço.

A última vez que tinha tocado no Porto, foi no Coliseu e em 2014. Passaram 20 anos, mas João Pedro Pais continua aquele jovem simples, humilde, cativante e entusiasta de sempre!
Sempre acompanhado da sua guitarra e da sua voz rouca e quente, rapidamente conquista o público e fá-lo vibrar de entusiasmo. Quando interpretou “ Não há ninguém como tu “, o público delirou, acompanhou do princípio ao fim, foi um momento único, muito bonito.
O público, que encheu a sala Suggia, vibrou com a entrada em palco de um convidado muito especial, Pedro Abrunhosa. Que momento!!!  Foi lindo!!!  Foram interpretados dois temas “ A palma e a mão “, e “ Ilumina-me”. O público acompanhou sempre os dois intérpretes e aplaudiu de pé os dois cantores.
João agradece a participação e apoio do público, «…do caraças, pessoal!». Segue-se “ Ninguém é de ninguém”,“ Mentira” , mais dois momentos verdadeiramente únicos! Fala sobre o que se está a passar na Síria e de como nós somos privilegiados! Não esquece as crianças, as maiores vítimas de todas as guerras!
Fala sobre o amigo desaparecido em novembro, das saudades que sente de Zé Pedro e do tema que compôs para ele e que o amigo ainda chegou a ouvir, “ És do Mundo “. Mais uma vez, o público aplaude de pé.
Despede-se e agradece, e nós não queremos que ele vá!
Termina sozinho em palco, ao piano, de forma simples como ele é!
Regressa em breve, João!