Julia Michaels encerra tour europeia em Lisboa

Depois de ter sido responsável pela primeira parte do concerto de Niall Horan no ano de 2018, Julia Michaels regressa a Portugal, desta vez em nome próprio.
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Bastava entrar na sala de espetáculos LAV – Lisboa ao Vivo para ter uma pequena perceção do que seria o concerto de Julia Michaels. Muitos gritos, muitas lágrimas e ao mesmo tempo muita alegria.

Minutos antes do início foi colocado no palco um cartaz a avisar o público que aquela era uma zona livre de julgamentos, encorajando-o a cantar, dançar, saltar, sentir e a rir. O recinto, maioritariamente composto por adolescentes, entrava em êxtase cada vez que um movimento pudesse indicar a chegada de Julia.

A carreira de Julia Michaels como compositora começou em 2010, a escrever temas para Britney Spears, Justin Bieber, Demi Lovato e Selena Gomez, entre muitos outros. Como intérprete estreou-se em 2017 e, entretanto, editou cinco EP’s. Trouxe até Lisboa um bocadinho de Nervous System, Inner Monologue Pt I e Inner Monologue Pt II.

A setlist começou com Pink e a plateia provou desde logo a sua dedicação, cantando o refrão em uníssono. Seguiu-se I Miss You e à terceira música, Make It Up to You, a cantora declarou-se rendida a um dos públicos mais barulhentos de sempre.

Em Worst In Me e Heaven deu provas do seu grande poder vocal. Entre Deep e Into You confessou que foi em 2017 a sua voz começou a ser ouvida, com o lançamento de Nervous System, e que na altura optou por não fazer uma digressão, mas agora estava ali para se entregar totalmente aos seus fãs. A entrega foi tanta que decidiu cantar quatro temas no meio do público: Happy, a sua versão acústica de Forget You de Cee Lo Green, Apple e Falling for Boys.

Ao longo de todo o concerto existiram vários momentos de interação da cantora e da banda com o público. É de realçar a capacidade de entretenimento de todos os elementos, que não se limitaram a tocar os seus instrumentos – dançaram, cantaram e pularam, tornando o concerto ainda mais completo.

Priest foi o tema mais aplaudido da noite, e Julia convidou a cantora francesa Louane para a acompanhar em Anxiety. A festa parecia estar a terminar com Uh Huh.

Para o encore ficaram reservadas What a Time, onde o cantor Rhys Lewis, responsável pela primeira parte do concerto, substituiu Niall Horan, e a canção que a lançou para as luzes da ribalda há 2 anos – Issues.

A carreira de Julia Michaels enquanto intérprete está no inicio, e com esta tour provou ser capaz de muito mais.

OUTRAS REPORTAGENS

NOVAiDS White-01