IdS(30)

MUMI seleciona 12 artistas da Galiza e Portugal para programação de showcases

O comité de seleção, formado por profissionais das distintas empresas galegas e portuguesas que integram o MUMI, fixou a escolha entre as 185 propostas musicais recebidas desde a Galiza e Portugal, seguindo critérios de qualidade e diversidade, com o objectivo de dar espaço a projetos de ambos territórios e contemplando um amplo leque de estilos musicais. A esta seleção de showcases há que envolver a animação de rua do projecto Organeta, e mais dois showcases que se anunciarão em breve e que se integrarão dentro da secção OFF para o programa de concertos de música electrónica no final da noite em locais de Verín.

A menos de 20 dias para do primeiro encontro profissional de música entre a Galiza e Portugal, a organização do MUMI avança a primeira seleção de showcases que vão ter lugar em distintos espaços da localidade de Verín nos dias 12, 13 e 14 de março 2020. Serão num total de 12 concertos, mais uma animação de rua, que incluem alguns abertos ao público geral. A seleção de propostas é uma mostra da diversidade de estilos e formatos musicais dos dois territórios, numa programação que mistura novos valores e figuras consagradas em espetáculos multidisciplinares para o público familiar e adulto.
 
Na semana anterior ao encontro será anunciada a programação completa, que se integrará também um concerto de abertura, atividades profissionais e outros dois showcases dentro da secção OFF com música electrónica em locais de Verín ao final da noite.
 
A programação profissional incluirá encontros e palestras com festivais, salas, programadores públicos, e empresas que patrocinam música; speedmeetings (encontros rápidos) entre profissionais do sector, e os próprios showcases com uma seleção de artistas e bandas da Galiza e Portugal, numa feira sectorial com a presença das empresas das diferentes áreas do sector. O Camiño e o feito do Xacobeo 2021 serão tratados especificamente neste apartado como grandes geradores de oportunidades para o sector aproveitando o seu património cultural e os espaços naturais que oferece.
 
SELECÇÃO DE SHOWCASES:
 
Barry White Gone Wrong (PT) A sua música é uma mistura perfeita entre o som glamoroso, sexy e cheio de atitude, onde não falta a profunda e icónica voz de Peter de Cuype. Considerada uma das bandas de rock and roll, blues e soul de referência em Portugal, bastante acolhida entre a imprensa especializada e o público português.
 
Bed Legs (PT) Rock intenso pincelado de rhythm and blues e pura energia. Para os Bed Legs não existe meio termo. Estão sempre no limite da navalha, e não hesitam lançar-se a um precipício melancólico, se for necessário.

Cassete Pirata (PT) Esta banda pop, formada por João Firmino, Margarida Campelo, Joana Espadinha, António Quintino e João Pinheiro, chega com uma música que desperta distintas emoções e sensações. Desde a introspeção e a nostalgia até à procura de respostas ás dúvidas da humanidade.

Luca Argel (PT) Em formato simples e intimista, Luca Argel envolve o espectador em histórias cantadas, que vão da ternura ao amor. Vocalista e compositor de diversos grupos musicais, o seu samba seduz mediante a doçura e a singeleza, acabando por absorber e transformar o quotidiano.
 
Magín Blanco e A Banda das Apertas (GZ) Magín Blanco é uma das grandes referências da música galega para todos os públicos, graças a hinos internacionais que misturam melodias pop, rock, reggae ou bossa nova com relatos que falam de aspirar a um mundo melhor, e imagens que nos aproximam a novas linguagens.
 
O Sonoro Maxín (GZ) Prémio Martín Códax da Música 2017, esta banda de reencontro de velhos amigos da música galega. Depois de mais de 150 concertos por todo o país, chegam com o espetáculo De navallas e cumbias, um caminho de ida e volta para partilhar os momentos e os lugares em que nasceram, cresceram e amaram.
 
Os d’Abaixo (GZ) Integrada por grandes da música galega, procedentes de Berrogüetto e Fía na Roca, gostam de investigar a tradição e oferecer trabalhos mais cuidados. Depois de percorrer alguns dos festivais folk mais populares da Europa, apresentam um novo repertorio, adiantando aquilo que será o seu próximo disco.
 
Silvia Penide (GZ) Cantautora, guitarrista e intérprete, quando sobe ao palco Silvia tem uma cumplicidade direta e instantânea com o público. Ganhadora do Premio Martín Códax da Música 2016, partilhou o espaço e momentos com artistas como Amancio Prada, Uxía, Guadi Galego, Mäbu ou Mercedes Peón.
 
Xacobe Martínez Antelo Trío (GZ) Excelente músico e contrabaixista nesta formação com Xosé Miguélez e Max Gómez. Apresenta um trabalho profundo e maduro, totalmente ancorado no presente com ritmos bebop, hardbop ou funk. Foi finalista nos V e VI Prémios Martín Códax na categoria de melhor projeto de Jazz e Músicas Improvisadas.
 
Ezetaerre (GZ) Garchu, Pirola e Petrowski criaram com Ezetaerre um rap de luta em galego que, em pouco tempo já se converteu numa das bandas revelação na Galiza. A sua música é uma ferramenta para mudar a realidade, sempre debaixo de uma mesma vontade: dignidade, solidariedade e humildade.
 
Familia Caamagno (GZ) Energéticos os cinco infraseres -como eles mesmo se consideram- a Familia Caamagno juntam no seu novo disco melodias pop, ritmos frenéticos e com o único objetivo de fazer dançar. Isso sim, mantendo esse rock and roll de inspiração e com um ar renovador.
 
Oîma (GZ) Antía, Olalla e Martiño criaram música tradicional de composição própria, que liga os ritmos galegos com os de outras latitudes, desde o chapeloise até à rachenitsa. Definem o seu primeiro trabalho discográfico Ala! como uma viagem no tempo e no espaço na que os mapas e o calendário fazem parte da música.  
 
ANIMAÇÃO DE RUA
 
A Organeta (GZ) A serra mágica de Pulpiño Viascón e um adorável pássaro fantoche estarão presentes num espetáculo inesquecível que irá encher as ruas de Verín com a música de A Organeta. Um instrumento musical mecânico de origem inglesa de adoção galega que até lê livros de música, funcionando à manivela!