Nik Kershaw levou ao Coliseu uns quantos resistentes ao Mau Tempo…

175

O público, contra o que eu tinha imaginado, é bastante heterogéneo, ainda estavam presentes alguns jovens, talvez por terem de acompanhar os pais neste regresso ao passado, aos áureos anos 80!

Nik Kershaw entra em palco e saúda o público com um “Good evening my friends”!

Como o tempo passa! Este homem em palco não é o meu Nik Kershaw! O meu Nik Kershaw é um jovem extremamente bem parecido, com um olhar cativante e uma energia contagiante!!!

Este Nik Kershaw tem 60 anos, cabelos brancos e apresenta-se de óculos de sol com lentes azuis, embora a energia esteja lá, não é a mesma coisa! Talvez o facto de eu também já não ter 16/18 anos me façam ver as coisas de outra forma?! Eu ainda associava os hits “The Riddle”, “Wouldn’t it Be Good” e “I Won’t Let The Sun Go Down On Me”ao jovem Nik Kershaw, mas afinal a passagem do tempo deixa marcas em todos nós, não há exceções! Todos nós envelhecemos, Nik não foge à regra, apenas a voz se mantém igual.

Foram quase duas horas de concerto e durante esse tempo foi visível que o cantor é um exímio músico, domina completamente a guitarra e é um excelente compositor.

Para além dos sucessos já referidos, que o público acompanhou e aplaudiu entusiasticamente, destaco dois temas, “Have a Nice Life”, tema composto pelo filho e “The Sky’s The Limit”, tema composto por Nik Kershaw para a filha, há seis anos atrás.

O cantor agradeceu sempre a participação e apoio do público, ao longo de todo o espetáculo com um “obrigado”. Agradeceu à cidade do Porto, na qual é a primeira vez que toca, às condições meteorológicas tão semelhantes ao seu país!!!

Foi um bom momento, sobretudo o recuar no tempo, o avivar as memórias de uma adolescência longínqua, o constatar que todos nós ficamos com a marca da passagem do tempo!

 
Texto de Cristina Tavares e Fotos de Mário Monteiro