GABINETE DE IMPRENSA

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O último arraial do Verão já tem data e acontece no Porto

Dia 15 de Setembro é a data a reservar no calendário do final de Verão deste ano. Em vésperas do arranque do calendário escolar e já com as férias de sol volvidas, o ringue do Circulo Católico de Operários do Porto (CCOP) vai cumprir com os seus deveres pagãos e ser casa para a segunda edição do Taina Fest deste ano. Alinhadas para o dia que se quer de arraial, as actuações de José Pinhal Post Mortem ExperienceJetro TugaConferência Inferno Dj da Casa. E porque não há arraial que se faça sem padroeiros, nem festa que se faça sem cantoria, o palco vai estar aberto também ao talento dos amadores, com um Karaoke ao Desafio: Canções de Lena D’Água e António Variações apresentadas por Emanuel Botelho

Comecemos pelo fim. José Pinhal era um cantor praticamente desconhecido até ao dia em que um grupo de embaixadores, motivados pela descoberta de duas cassetes (José Pinhal Vol. 1 e 2) num antigo gabinete do agente do músico, assume a função informal de disseminar o material num grupo restrito de amigos. Conta a história que as cassetes originais se haveriam de perder, mas que em 2016, Joaquim Gomes (outro ilustre desconhecido) haveria de revelar no YouTube o Vol. 3 do trabalho do cantor romântico nortenho. Os temas assumiram-se como a novidade viral da música portuguesa, espalharam-se pelos computadores de Norte a Sul do país para encontrarem na Favela Discos no Porto uma espécie de casa da ressurreição. José Pinhal Post Mortem Experience mais do que uma banda é uma homenagem a José Pinhal, feita pelas mãos de músicos da Favela Discos e dos Equations, e que recria, com especial destreza e músculo, o repertório do cantor.

Único e em português. Os Conferência Inferno arriscam-se a ser uma das mais interessantes novas bandas da safra que tem ocupado os tops nacionais com temas de ADN claramente português. Forjado em excursões entre as cidades de Aveiro, Porto e Vila Real, Bazar Esotérico, o EP de estreia deste power duo, experimenta-se pela electrónica de cariz dançável, com aditivos kraut, darkwave e punk. 

Sejamos claros aqui. Jetro Tuga é música portuguesa que põe a malta a dançar, a saltar e a gritar. O nome profético-aportuguesado serve de introdução ao projecto a solo de Jonas Gonçalves, guitarrista dos Stone Dead, que aqui assume os comandos dos pratos para uma peregrinação à história do rock português, onde não faltam jeans coçadas, sapatilhas rotas e batidas rápidas. A fechar as contas à festa, actuação do Dj da Casa. 

Nesta reviravolta ao baú da música portuguesa, o Taina Fest de Setembro lança ainda o desafio da fama aos seus visitantes. Com apresentação de Emanuel Botelho, o último arraial do Verão arrancará com um Karaoke ao Desafio, deixando o palco à disposição dos fãs de uma boa desgarrada. À escolha estarão músicas de Lena d’Água e António Variações e um armário carregado de acessórios para que os talentos mais destemidos possam apresentar-se caracterizados a rigor. A inscrição e dinâmica de participação neste alegre despique será revelada nos próximos dias nas redes sociais da promotora Lovers & Lollypops. 

O Taina Fest está de regresso no dia 15 de Setembro e promete ainda um cardápio de comes e bebes à altura da exigências gastronómicas do Porto. Os bilhetes estão à venda na Bilheteira Online, CCOP, Louie Louie, Matéria Prima, Bunker e BOP pelo valor de 6€. No dia, passam a custar 8€. A entrada de crianças até aos 12 anos é gratuita.