Omiri com "Baile Eletrónico" no HardClub - Imagem do Som
19435
post-template-default,single,single-post,postid-19435,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive
 

Omiri com “Baile Eletrónico” no HardClub

OMIRI, o projecto de Vasco Ribeiro Casais passou pelo Hard Club no Porto e poucos foram os que conseguiram ficar parados ao som contagiante e não raras vezes difícil de catalogar do músico com já 19 anos de actividade no panorama musical português.

O público presente no local respondeu de forma entusiasta ao músico quer através de danças ensaiadas, como de outras mais espontâneas, mas ninguém conseguiu ficar indiferente ao electro folk com laivos de psicadelismo dos temas apresentados do brilhante “Baile electrónico”, último álbum de OMIRI editado este ano que surge 7 anos depois do registo de estreia “Dentro da matriz”.

É de louvar, que num panorama musical nacional muitas vezes previsível e enfadonho exista um projecto como este que ousa quebrar barreiras fundindo géneros e meios; que tente ir mais longe que o expectável, atingindo no processo um equilíbrio entre o tradicional e o moderno.

Com uma primeira parte de concerto a cargo dos bracarenses CabraÇega, que de forma competente aqueceram as hostes com melodias populares e energeticas repletas de bombos e gaitas de foles, coube a OMIRI com uma metamorfose quase perfeita entre som e imagem (da autoria de Tiago Pereira), o apogeu da noite, num autentico “one man show” por parte de Vasco Ribeiro Casais, que ao longo de mais de 1 hora de concerto alternou entre uma imensa variedade de instrumentos, que se sucederam em loop, por entre programações electrónicas, e complementadas com exactidão pelos vídeos projectados em palco.

As imagens, assim como o texto, são do Nuno Cava Mendes: