OS MÍTICOS THE CULT ENCERRAM EM GRANDE O CARTAZ DO EDP VILAR DE MOUROS

A organização do EDP Vilar de Mouros acaba de anunciar as últimas bandas que completam o cartaz da edição de 2019, com destaque para os britânicos The Cult, que atuam no dia 22 de agosto. Segundo a organização “Os The Cult são Vilar de Mouros. O EDP Vilar de Mouros é The Cult. Uma banda de culto para um festival de culto”. As novidades passam pela presença dos portugueses TAPE JUNK, a 22 de agosto, que trazem o seu rock inconfundível ao festival, e ainda pela atuação dos acarinhados Jarojupe, a mais antiga banda de rock minhota, a 24 de agosto.

O Festival EDP Vilar de Mouros – o mais antigo da Península Ibérica – realiza-se nos dias 22, 23 e 24 de agosto e promete agitar a mítica aldeia do concelho de Caminha.

Estas novas confirmações fecham o cartaz do festival, juntando-se aos já anunciados Manic Street Preachers, Anna Calvi, The Offspring, Skunk Anansie, Nitzer Ebb, Gogol Bordello, Prophets Of Rage, e Linda Martini no palco EDP e Killing Joke, The Wedding Present, The Sisters Of Mercy, The House Of Love, Clan Of Xymox, Gang Of Four, Fischer-Z, TAPE JUNK no estreante palco MEO.

Este novo palco é uma das grandes novidades da edição 2019 do EDP Vilar de Mouros, sob o compromisso de continuar a oferecer os melhores concertos a todos os festivaleiros. O palco MEO está em linha com a estratégia que a Altice Portugal, e consequentemente, o MEO, tem adotado ao nível do investimento, da inovação, da intervenção social e da proximidade. Com esta aposta, o MEO pretende contribuir para a promoção de igualdade de oportunidades, para a aproximação a regiões que são longínquas dos grandes centros urbanos, reforçando ainda mais, a ligação da marca à música através de um festival histórico.

A EDP tem vindo a apostar nas áreas da música e da cultura, reconhecendo a importância de ambas para a evolução da sociedade e das regiões. Com o objetivo de promover o desenvolvimento cultural da zona e dotar os músicos de melhores condições, a EDP vai oferecer vários instrumentos à Sociedade Musical Banda Lanhelense. Neste momento, uma das grandes apostas da banda é a formação dos alunos, com recurso à escola de música João da Costa e Silva. É nesta ótica que a EDP pretende contribuir para a formação de novos músicos que um dia poderão também atuar em grandes palcos como o EDP Vilar de Mouros. No primeiro dia do festival vai ser possível assistir à atuação da Sociedade Musical Banda Lanhelense.

Das várias novidades da edição 2019 do EDP Vilar de Mouros destaca-se a aposta na mobilidade, nomeadamente na mobilidade reduzida, com duas novas plataformas no recinto, com melhoria de acessos e estacionamento próximo da entrada, no âmbito da campanha “A música é para Todos” desenvolvida com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. A mobilidade para o recinto, com aposta na sustentabilidade, é também reforçada com a disponibilização de bicicletas gratuitas entre Caminha e o festival, com dois pontos de recolha/entrega, que fazem igualmente a ligação entre as praias fluvial e marítima.

Mas mais novidades existirão na edição 2019 do EDP Vilar de Mouros para marcar a política de sustentabilidade. Aposta na redução de utilização de plástico, com a instalação de tendas ecológicas, feitas de cartão. Aposta na reutilização de recursos hídricos, com instalação de um sistema de reutilização das águas dos chuveiros para as sanitas. Aposta na compostagem, com a criação de uma central de compostagem para devolução aos terrenos de toda a vegetação cortada nos 20 hectares que são utilizados no festival (recinto, camping, parques de estacionamento), em que todos os trabalhos de corte de vegetação para o festival serão conduzidos para essa central, que irá naturalmente transformar os resíduos verdes em composto para mais tarde adubar os terrenos da população agrícola local. Aposta na vertente social, com a criação de uma central de recolha de roupa, no centro de Caminha, com o apoio da Coca-Cola, que depois será selecionada e distribuída pela população carenciada do concelho.

A edição 2019 do EDP Vilar de Mouros fica assim marcada pelo aumento da área do recinto dos concertos em mais 6.000m2 – alcançando os 20.000m2,o palco MEO, uma pista de dança com DJs que irão animar os festivaleiros no final da noite, aumento de 1/3 da área da alimentação, aumento da capacidade da zona de camping (mais 1.000 tendas) e aumento do espaço de estacionamento (mais 2.500 carros). Tudo isto vai permitir um maior conforto aos festivaleiros.

O transfer gratuito em autocarro panorâmico entre Caminha e o Festival mantém-se, com o patrocínio da Óptica Pitosga, com paragens no Terreiro (Caminha), na estação de comboios e no Festival.

Os bilhetes estão disponíveis nos locais habituais e na Ticketline. O bilhete diário tem o custo de 35 euros e o passe para 3 dias, que inclui acesso gratuito ao campismo, custa 70 euros.