Praça de Touros da Póvoa de Varzim aos pés de Paula Fernandes

Praça de Touros da Póvoa de Varzim aos pés de Paula Fernandes

Ana Cristina Tavares
Ana Cristina Tavares
28 de março de 1970. Porto. Licenciada, Pré-Bolonha, em Línguas e Literaturas Modernas, Variante de Estudos Portugueses e Franceses e Mestrado, Pré-Bolonha, em Linguística Portuguesa pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Professora de português e francês do 3.º ciclo e ensino secundário. Apaixonada pela vida, livros, música, cinema e teatro.

Ontem, pelas 22:00, a Praça de Touros da Póvoa de Varzim praticamente lotou – apenas os lugares atrás do palco não encheram – para assistir ao espectáculo da cantora/compositora brasileira.

Paula Fernandes encantou os seus inúmeros admiradores com temas como “Não precisa”; “Eu Quero Ser Pra Você”; “Pra Que Conversar?”; “Beijo Bom”; “Desculpe, Mas Eu Vou Chorar”; “O Traidor”; entre tantos outros. Destaca-se a participação do público durante todo o espectáculo que sabia as letras desde o início ao fim. Paula Fernandes chegou mesmo a afirmar “Vocês cantam tudo! Vocês arrasaram, lindo, lindo!”. A cantora chegou inclusive a emocionar-se e a chorar por diversas vezes!

Durante o concerto, chamou duas crianças ao palco. O público delirou com a sua atitude. Com a primeira tirou uma selfie e com a segunda, Marta, de oito anos, de Grijó, cantou e acabou por entregar o microfone à menina que sabia a letra toda da música.

© Teresa Mesquita

Paula recebeu ainda um ramo de flores da fã Inês que ficou muito feliz por subir ao palco e tirar uma fotografia com a cantora.

© Teresa Mesquita

Não podemos deixar de referir a energia da cantora durante toda a atuação, assim como a sua simpatia. Por diversas vezes agradeceu ao maravilhoso público que sempre acompanhou a cantora nas suas canções.

Destaca-se também, por uma questão de gosto pessoal, a interpretação do tema “A Thousand Years”: foi lindo, muito bom mesmo; e “Pássaro De Fogo” com que encerra o espectáculo.

Não podemos terminar sem deixar um especial agradecimento ao segurança que nos permitiu acesso a um lugar extraordinário, para que pudéssemos realizar o trabalho. A organização reservou à imprensa um lugar com pouca visibilidade, difícil de nos apercebermos de alguns pormenores dignos de registo.

Ana Cristina Tavares
Ana Cristina Tavares
28 de março de 1970. Porto. Licenciada, Pré-Bolonha, em Línguas e Literaturas Modernas, Variante de Estudos Portugueses e Franceses e Mestrado, Pré-Bolonha, em Linguística Portuguesa pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Professora de português e francês do 3.º ciclo e ensino secundário. Apaixonada pela vida, livros, música, cinema e teatro.