hazin

Purple Hazin: o monstro Jinx invade a capital

Purple Hazin: o monstro Jinx invade a capital

Rita Matias dos Santos
Rita Matias dos Santos
Após 6 anos exilada em Paris, Rita regressa à pátria persistindo contra todas as marés no seu sonho de escrever sobre música. Pelo menos da parte da tarde.
Após tanto burburinho sobre as festas singularmente assinadas pela Monster Jinx, a Imagem do Som decidiu averiguar o património noturno da label portuense que tanto mexe com a noite metropolitana.

Nunca sabemos o que as noites de Lisboa nos irão trazer. Inesperadamente podem transformar-se numa das melhores noites da nossa vida, sem que tenhamos qualquer intenção para tal. Como nos pode trazer apenas mais uma noite. Mas onde quer que a começássemos, ontem o destino foi igual para todos.

A porta do Musicbox continua a ser a entrada favorita de muitos para fechar a madrugada. O seu programa musical mantém-se variado e consistente, sempre pronto para satisfazer os pés irrequietos. Ontem não foi exceção. A penumbra roxa invadiu o número 24 da rua cor-de-rosa para mais uma Purple Hazin com os grandes nomes do coletivo: SlimCutz, PRETOCHINÊS, DarkSunn, E.A.R.L e Nitronious. Timidamente, a pista enchia-se consoante se prolongava a noite, mesclavam-se odores e texturas sob as luzes quentes e amistosas num doce abraço do monstro roxo que nos acolhia como se da casa fizéssemos parte. Era num ambiente descontraído que os djsets davam sentido à nossa noite, ao nosso convívio. Porque é exatamente disso que se trata.

Os Jinx convidam-nos para o convívio que a música é no seu sentido individual, mas sobretudo social. Não interessa quem somos, ali não passamos de meros mortais comuns guiados pelas vibes variadas do hip-hop, do trap e toda mística dos beats compassados que eletrificam o corpo e a alma.

A Monster Jinx, reivindica a internet como espaço de criação musical desligado de qualquer tipo de obrigações, acessível a todos sem limites. Há 10 anos que os seus valores permanecem intocáveis, onde a liberdade musical está acima de qualquer compromisso. Partilham esses mesmo valores com os seus seguidores em festas que têm vindo a suscitar cada vez mais a curiosidade dos noturnos metropolitanos. E não importa qual seja o alinhamento dos astros que as noites Jinx prometem a sorte aos audazes. Porque se a vida é uma festa, a vida é uma Jinx.

Rita Matias dos Santos
Rita Matias dos Santos
Após 6 anos exilada em Paris, Rita regressa à pátria persistindo contra todas as marés no seu sonho de escrever sobre música. Pelo menos da parte da tarde.