Rumble in the Jungle com maus Hábitos - Imagem do Som
19555
post-template-default,single,single-post,postid-19555,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive
 

Rumble in the Jungle com maus Hábitos

Depois do tráfego que se gerou à porta da sala de concertos dos Maus Hábitos, no Porto, a bilheteira esgotada transformou-se num público ansioso por assistir a um duelo de titãs que estava prestes a acontecer.

Quarenta e três anos depois do combate histórico protagonizado por Muhammad Ali e George Foreman, foi a vez de Linda Martini e Legendary Tigerman calçarem as luvas de boxe e subirem ao palco que viria a ser a reencarnação do Rumble in the Jungle.

Até então tudo o que conhecíamos era “Gravidade” e “Fix of Rock’n’Roll”  – amostras de dois álbuns que sairão em 2018, ao abrigo de uma carreira interminável e rica de clássicos do rock portugês da última década.

Qual seria o espanto quando a primeira round arrancava com Linda Martini a tocar “Belarmino Vs”? O ringue estava pronto e era impreterível suar.

A prioridade da banda não foi só apresentar os trabalhos mais recentes mas também dar o golpe ao Homem-Tigre com os êxitos mais antigos. Passaram pelos primeiros álbuns “Marsupial” e “Olhos de Mongol”, sem abandonar a apresentação do último álbum “Sirumba”. O saxofonista Pedro Cabrita também subiu ao palco mas o knockout aconteceu com a entrada de Paulo Furtado e Paulo Segadães a tocar o último single da banda – só que ninguém os deixou cair ao chão.

Finalizado o primeiro combate, era o oponente Legendary Tigerman quem agora permanecia na arena e, distanciando-se da ideia original one man band, trouxe consigo dois músicos que lutaram do seu lado durante o resto do concerto. Com todas as idiossincrasias inerentes ao amor que Paulo Furtado sente pelo blues, o músico conseguiu substituir o Natal pelo rock’n’roll e o público não se cansou de cantar. Apresentadas as novas composições e relembrado o já familiar cover “These boots are made for walking”, tinha chegado a altura de Linda Martini subir novamente ao palco.

Terminada a segunda round do 5º concerto da digressão-combate, e com os sete músicos em cima do ringue, qual seria a equipa vencedora?

A tour Rumble in The Jungle ainda decorre e o último double bill será no Coliseu de Lisboa, no dia 21 de Dezembro.

 

Galeria: