SAMUEL ÚRIA anuncia concertos a solo e edição especial de “Canções do Pós-Guerra”

SAMUEL ÚRIA anuncia concertos a solo e edição especial de “Canções do Pós-Guerra”

Há cerca de um ano, Samuel anunciava “Canções do Pós-Guerra”, o álbum que havia preparado para o início de 2020. A situação pandémica obrigou-o a adiá-lo para Setembro, e assim foi: Samuel apresentou o disco rodeado dos seus músicos em espectáculos esgotados no Teatro Tivoli BBVA e na Casa da Música.

Meses mais tarde, a pandemia, e o consequente confinamento, condicionaram-no novamente. Em resposta, Samuel propôs-se olhar para o repertório de “Canções do Pós-Guerra” em registo solitário.

O resultado é “Canções do Pós-Guerra – Solo“, um EP de 6 temas que integrará a edição especial do registo homónimo que chegará às plataformas digitais no próximo dia 26 de Março de 2021. No seguimento, a criação de uma apresentação de características únicas para datas no mês de Maio de 2021 em Lisboa e Porto: a 3 e 4 no Teatro Maria Matos e a 6 e 7 no Auditório CCOP, respectivamente. E, em exclusivo, a edição deste EP em formato de cassete áudio, apenas disponível para venda nos concertos num pack “analógico” com o vinil de “Canções do Pós-Guerra“.

Talvez a lógica pareça retorcida, mas para escapar à solidão do confinamento entreguei-me à solidão do estúdio. Em cada faixa gravada, só uma voz, só um instrumento nas mãos – canções tal como no dia em que nasceram, ou tal como nos tempos em que me povoavam os concertos a solo. Foi sempre nessa fórmula solitária que encontrei o público mais solidário. Agora em cada faixa gravada, só uma voz, só um instrumento nas mãos, só a perspectiva de muitos ouvidos.

Este novo registo inclui versões de “Guerra e Paz”, “Fica Aquém” e “A Contenção”, algumas canções âncora de “Canções do Pós-Guerra” e que, neste formato, ganham uma dimensão ainda mais dramática. A estas, Samuel juntou interpretações inéditas de “Cantiga de Abrigo”, um original seu composto para Ana Moura e publicado no álbum “Moura”; “Sinais”, a parceria com Hélder Gonçalves para os Clã e publicada no último álbum da banda “Véspera”; e, ainda, uma versão de “Amor Conforme” de Márcia.

A escolha dos temas não esconde grande segredo (e ainda menos me esconde). Como mote, atiro-me a 3 versões de canções do meu último disco. Mas desta missa isso é só metade: para além dos exemplares dum repertório recente, há outras tantas versões – uma canção que fiz para outra artista, uma canção cuja letra escrevi para outra banda, e ainda uma canção que gostaria de ter sido eu a fazer. A ligar tudo, escuta-se a melancolia real dos primeiros dias de 2021. Em contraponto, nada como um conjunto de cantigas para avivar a esperança de dias melhores.

Para palco, Samuel levará o universo musical de “Canções do Pós-Guerra” e outros temas que fazem parte da sua discografia e que nos irá mostrar no seu estado mais puro de composição. A história deste EP faz ainda adivinhar que tomará como suas, pelo menos nestas noites, algumas músicas criadas para outras vozes, ou compostas por pares que admira.

Os bilhetes encontram-se já à venda com o preço único de 15€:
     Lisboa / 3 e 4 de Maio / Teatro Maria Matos / 20H – LINK
     Porto / 6 e 7 de Maio / Auditório CCOP / 20H30 – LINK

Menu

Bem-Vindo(a)!