NOTÍCIAS

SINKANE, ADY SULEIMAN e HELADO NEGRO no Super Bock em Stock 2019

Depois das férias, setembro é o mês de organizar as agendas e há dois dias que têm de ficar já guardados: 22 e 23 de novembro. O Super Bock em Stock está de regresso e traz alguma da melhor música nova, distribuída pelos vários palcos espalhados pela Avenida da Liberdad e, em Lisboa . A paisagem urbana da capital é o cenário ideal para ficar a conhecer algumas das propostas mais interessantes da atualidade, três delas cheias de soul e que são as mais recentes confirmações do cartaz desta edição: Sinkane, Ady Suleiman e Helado Negro.

SINKANE

Ahmed Gallab é simplesmente Sinkane para o mundo da música. Apesar de ter nascido em Londres, Gallab viveu no Sudão durante vários anos, um facto que acabaria por influenciar a sua música anos mais tarde. Em maio de 2008 editou o primeiro EP: “Color Voice”. No mesmo ano também fez estrada enquanto baterista, a acompanhar nomes como Caribou e Of Montreal. Um ano mais tarde, editou um disco homónimo, o que lhe permitiu chamar a atenção da DFA – uma editora à medida da sua música. Foi aí que o nível subiu, como ficou evidente nos discos que se seguiram. Em 2012, “Mars”, e em 2014, “Mean Love”. Por esta altura, o mundo indie já estava de olhos postos em Sinkane, mas o músico continuou o seu caminho marcado pela genuína vontade de fazer coisas com valor artístico, com projetos paralelos como a Atomic Bomb! Band, uma banda de world music dedicada ao mestre do funk William Onyeabor. Depois de “Life & Livin ‘It”, editado em 2017, Sinkane regressou aos discos em 2019, com “Dépaysé”, um registo de autodescoberta com fôlego para ir a temas como a imigração. O seu estilo eclético, cozinhado com free jazz, afrobeat, shoegaze e até reggae, vai combinar na perfeição com a atmosfera vivida no Super Bock em Stock. O encontro fica marcado para novembro.

ADY SULEIMAN

Ady Suleiman , nascido e criado na histórica cidade de Grantham, Inglaterra, é um exemplo da sorte que é nascer numa casa com muita música. A coleção de discos do pai era generosa, influenciou-o desde muito cedo e teve nomes como Jimi Hendrix a exercer um enorme fascínio sobre a personalidade do jovem Ady. Não demorou muito até que a sua sensibilidade artística se estabelecesse em territórios como o r&b, o jazz, o reggae e a soul. Com apenas 14 anos já escrevia as suas próprias canções e os concertos vieram logo a seguir, na Universidade de Liverpool. Mas a decisão de levar a música mais a sério só surgiu depois de terminar os estudos, depois de perceber que havia uma cena soul a fervilhar bem perto de si. O sucesso de Ady começou por ser local, mas rapidamente eclodiu depois de vencer o Breakthrough Act of the Year nos Worldwide Awards de Gilles Peterson. Uma das consequências mais imediatas desse prémio foi assinar pela Sony, que colocou cá fora alguns dos seus singles e EPs. Pouco depois, Ady começou a sofrer de depressão e ansiedade, problemas que viriam a influenciar as suas letras, cada vez mais francas e à flor da pele. Essa e outras experiências pessoais são precisamente a base do seu disco de estreia, “Memories”, editado em 2018, produzido pelo próprio com a ajuda preciosa de nomes como Eric Appapolay e Grades. “Strange Roses” é um dos seus últimos singles de sucesso e é, certamente, um dos temas que vai conquistar o público do Super Bock em Stock.

HELADO NEGRO

Roberto Carlos Lange nasceu na Florida, em 1980. Filho de pais equatorianos, o jovem Lange cresceu a ouvir música eletrónica de Miami. Mais tarde estudou arte na Savannah College of Art and Design e foi mais ou menos nessa altura que a música começou a aparecer na sua vida com mais força, depois de também ter estudado design de som e programas de áudio. No início dos anos 2000 começou a gravar as primeiras canções, com assinaturas diferentes (ROM, Epstein, Boom & Birds). Depois de se mudar para Brooklyn, a produtividade continuou em alta, desta feita em colaboração com Guillermo Scott Herren. Depois disto, chegados a 2009, não se pode dizer que Lange fosse um estreante quando se apresentou com a assinatura Helado Negro – estava preparado para mais um capítulo da sua própria história. O primeiro disco enquanto Helado Negro, “Awe Owe”, editado em 2009, foi marcado pela mistura de elementos: jazz, folk, eletrónica e as suas influências latinas. A proposta era original e o público de Helado Negro foi crescendo, principalmente depois da edição dos discos “Double Youth” (2014) e “Private Energy” (2016), graças a temas tão cativantes como “Young, Latin and Proud” e “It’s My Brown Skin”. Em 2019 regressou aos discos com “This is How You Smile”. Entre versos bilíngues sobre a infância e os pais imigrantes, e arranjos cada vez mais sofisticados, Helado apresenta-se mais acessível (sem facilitar) e também um pouco mais melancólico, a combinar com o outono lisboeta que acolhe o Super Bock em Stock.

logo grid

Some of Our Clients

Siverra lectus mauris ultrices eros in. Eget egestas purus viverra accumsan in nisl nulla nisi scelerisque euvestibulum sed risus ultricies.

Bakken Inc

Marketing

Welle LTD

AD Agency

Aasen Co.

Design Firm

Manage Lty

Managment
NOVAiDS White-01