SONIC BLAST’19: 10 NOVAS CONFIRMAÇÕES PARA O CARTAZ OFICIAL

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O Sonic Blast Moledo confirma mais 10 artistas para a sua 9.ª edição. Afirmando-se como um encontro perfeito entre praia, piscina, surf e muito rock, a grande novidade da nova edição do festival é que o evento passa a ter três dias em 2019.

O Festival de Moledo, no município de Caminha, anuncia agora mais 10 bandas no seu cartaz oficial de 2019. Elas são: Monolord, Lucifer, Toundra, Satan’s Satyrs, Sacri Monti, Harsh Toke, Petyr, MaidaVale, Maggot Heart e Kaleidobolt. Os novos nomes juntam-se aos 8 já anunciados: OM, Orange Goblin, Windhand, My Sleeping Karma, The Obsessed, Dopethrone, Minami Deutsch e Zig Zags.

Praticantes da arte do doom metal desde 2013, os Monolord têm vindo a propagar o poder do riff de forma categórica. Com três excelentes álbuns lançados no período de quatro anos, este power-trio Sueco continua a fazer digressões mundiais, espalhando entre todos o seu som massivo com performances ao vivo incríveis. A banda prepara-se agora para o lançamento do seu 4.º álbum de estúdio no final de 2019.

Formados em 2014 pela vocalista Johanna Sadonis, os Lucifer são facilmente considerados um super grupo nos dias que correm. Com dois discos de longa duração lançados, a banda conta agora com uma formação sólida, com Joahnna nos vocais, Robin Tidebrink na guitarra (também da banda Saturn), Alexander Mayr no baixo, Martin Nordin na guitarra (parte de Dead Lord) e Nicke Anderson na bateria (membro dos Entombed, Imperial State Electric e ex-The Hellacopters). Já era mais do que tempo de finalmente receber os precursores do heavy magic rock em Portugal.

Dentro dos domínios do post-metal, os espanhóis Toundra são claramente uma referência. Conhecidos pela sua música atmosférica instrumental, que conduz o ouvinte por experiências complexas e excitantes. O seu quinto álbum “Vortex” foi lançado no ano passado, sendo recebido com entusiasmo pelo público, mostrando mais uma vez como conseguem quebrar tão bem as barreiras do post-rock.

O grupo fundado por Clayton Burgess (ex-baixista de Electric Wizard), prepara-se para nos invadir com o seu sleazy rock n roll. Já com mais de 10 lançamentos na sua carreira (incluindo quatro álbuns de longa-duração lançados pela Bad Omen Records e um split com Windhand lançado pela Relapse Records), o quarteto da Virginia renova-se com um som arrojado no seu mais recente álbum “The Lucky Ones”, fazendo-os soar a algo nunca antes ouvido.

Com o seu rock enraizado na era dos anos 70, os Sacri Monti gostam sempre de adicionar psicadelismo às suas jams contagiantes. O seu disco de estreia, lançado pela Americana Tee Pee Records, foi apresentado na sexta edição do festival, confirmando todas a aptidão e habilidade para criar composições retro brilhantes. Três anos depois, o quinteto está de volta, trazendo consigo um novo álbum na manga, que sem dúvida apresentará riffs fumegantes e fervorosos momentos de heavy psychedelic rock.

Exploradores do som cósmico e do espaço sem aparente limite, os Harsh Toke colocam o devido ácido que falta no rock psicadélico. Especialistas na arte da jam, estes quatro californianos deixam em êxtase qualquer um com as suas avalanches sonoras e delírios musicais, receitados a todos que procurem viagens incessantes e repletas de adrenalina.

A invasão de San Diego não poderia estar completa sem a presença da mais recente revelação do Heavy Psych Rock: os Petyr. Encabeçados por Riley Hawk (filho de Tony Hawk), este quarteto é influenciado por todas as bandas obscuras do século passado, pelo heavy psych rock e obviamente pela grande atitude do skate. Tendo já lançado dois discos de longa duração e um single, o grupo promete não parar, mantendo sempre a chama do heavy psych bem viva.

Em 2016, as MaidaVale revelaram-se com o excelente álbum de estreia “Tales from the Wicked West”, que as levou a fazer algumas digressões pela Europa. Com o seu segundo trabalho, intitulado “Madness is Too Pure”, o quarteto mostra mais o seu lado experimental e post-punk, expressando-se de forma diferente e engenhosa, sempre com sua essência primitiva presente no seu som.

Inicialmente formado como o projecto a solo de Linnea Olsen (ex-The Oath, Beastmilk, Grave Pleasures, Slingblade e Sonic Ritual), os Maggot Heart incorporam garage rock, post punk e punk rock nas suas músicas, ampliando os seus horizontes em cada trabalho demonstrado. Com o seu álbum de estreia “Dusk to Dusk”, a banda consegue claramente estabelecer mais conexões, entre elas; a morte na cidade, os típicos hábitos e o inevitável ciclo de fins e começos.

Quando os Kaleidobolt passaram por Portugal, durante a sua digressão de 2017 com Radio Moscow, ninguém podia prever que nos proporcionassem uma experiência tão alucinante. Estes heavy psychers progressistas finlandeses não brincam em serviço quando se trata de oferecer um concerto esmagador, apresentado uma experiência emocionante com suas influências desconcertantes de sons setentistas, toques de jazz e muito psicadelismo à mistura.

Os primeiros bilhetes na categorias de “early birds” para o Sonic Blast’19 foram postos à venda no fim de novembro e esgotaram em questão de minutos, estando agora disponíveis os passes gerais.

NOVAiDS White-01