“Tristeza e Alegria na Vida das Girafas”, de Tiago Guedes, estreia nos cinemas com banda sonora de Manel Cruz

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Manel Cruz é o autor da banda sonora de ‘Tristeza e Alegria na Vida das Girafas’, de Tiago Guedes, que estreia a 21 de novembro de 2019 nas salas de cinema nacionais.
Baseado na peça de teatro homónima do encenador e produtor Tiago Rodrigues, ‘Tristeza e Alegria na Vida das Girafas’ conta com as interpretações dos atores Maria Abreu, Tónan Quito, Miguel Borges, Miguel Guilherme, Romeu Runa e Gonçalo Waddington, entre outros.

Com temas do seu projeto Foge Foge Bandido, e outros inéditos, Manel Cruz apresenta uma banda sonora que acompanha a aventura de uma menina de 10 anos que atravessa a cidade de Lisboa em busca da única pessoa que pode ajudá-la: o primeiro ministro. A perceção da realidade social e política é desafiada através da voz de uma criança que apresenta um trabalho escolar, e empreende a tarefa enciclopédica de tentar explicar o mundo.

Desse estranho mundo chamado Lisboa fazem parte a crise económica, a aventura heróica de um urso de peluche com tendências suicidas chamado Judy Garland, o Discovery Channel, um pantera-negra, o dicionário escolar da editora Sampaio, o dramaturgo russo Anton Tchekhov e uma menina alta demais para a sua idade, a quem a mãe chamava girafa. Mergulhado nas trevas esperançosas do imaginário infantil, esta história revela medo pelo que as crianças pensam, e raiva pelo que os adultos fazem.

Com antestreia nacional na edição deste ano do IndieLisboa, estreia internacional em competição, no México, no Guadalajara International Film Festival, ‘Tristeza e Alegria na Vida das Girafas‘ foi também apresentado em outubro, no Brasil, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Trata-se da quarta longa-metragem de Tiago Guedes, depois do premiado ‘A Herdade’, ‘Entre os Dedos’ (2008) e ‘Coisa Ruim’ (2006), entre outros filmes que fez para televisão, como ‘Alta Fidelidade’ (2000), séries de televisão como ‘Odisseia’ (2013) e ‘Noite Sangrenta’ (2010), para além de trabalhos em teatro como encenador, nomeadamente PillowMan, de Martin McDonagh (2006), ‘Blackbird’, de David Harrower (2009), ‘Os Belos Dias de Aranjuez’, de Peter Handke (2014), ‘O Pato Selvagem’, de Enrik Ibsen (2016), ‘Órfãos’, de Dennis Kelly (2017) e ‘A Matança Ritual de Gorge Mastromas’, de Dennis Kelly (2019).

Manel Cruz é um contador de estórias inato, e detém a patente de fazer das tripas coração desde o início da sua carreira, quando com os Ornatos Violeta o seu nome saía das bocas do mundo. Seguiram-se várias paragens para assentar os pés e calcar a terra. Pluto, o lugar errático dos Super Nada e o projeto enigmático Foge Foge Bandido, com recortes, vozes e memórias de 10 anos de viagem a solo. Recarregou energias em 2015 através de Estação de Serviço, interpolando melodias conhecidas com novas lengalengas e frases soltas que davam vontade de memorizar. Em 2019, Manel Cruz voltou às gravações a solo apresentando o disco Vida Nova.

Músicas de ‘Tristeza e Alegria na Vida das Girafas‘:
Trabalho Escolar Manel Cruz
Este é o Meu Corpo Manel Cruz
Foi no Teu Amor Manel Cruz
Ainda Pode Descer Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Quando Eu Morrer (Instrumental) Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Uma Aventura Manel Cruz
Canteiro Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Sempre-a-pensar Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Fechado para Obras Christophe Roussel/Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Intérpretes: Christophe Roussel, Catherine Beilin, Manel Cruz
O Mergulho de Regresso Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Falso Geral Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Vida Adicta Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Conversa com o Ministro Manel Cruz
Quando Eu Morrer Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Canção da Canção da Lua Manel Cruz/Foge Foge Bandido
Intérpretes: Manel Cruz, Marcos Cruz, Marta Cruz


Manel Cruz

NOVAiDS White-01