Beneficiando da abertura da recém-chegada MTV, Nik Kershaw tornar-se-ia um dos nomes mais representativos da "pop" inglesa saída da "new wave" e foi com uma estrondosa actuação no Live Aid de 1985 que se transformou numa estrela à escala global.

Este simpático inglês de Bristol explodiu nas rádios e tops de todo o mundo em 1984 com singles como "I Won't Let The Sun Go Down On Me", "Wouldn't It Be Good" e "The Riddle", ocupando o top de vendas discográficas britânicas mais de 62 semanas entre 84 e 85, superando todos os lançamentos de artistas a solo durante esse período. Em 1985 Nik era um dos compositores e músicos mais requisitados do universo "pop" anglo-americano, sendo convidado por Elton John, por exemplo, para tomar conta das guitarras no single "Nikita". Nos anos seguintes Nik Kershaw cimentou a sua reputação de autor, produtor e multi-instrumentista trabalhando com Roger Daltrey (vocalista dos The Who), Tony Banks (teclista dos Genesis), Bonnie Tyler, os Hollies ou Gary Barlow (Take That). O revivalismo do sucesso de uma das décadas mais criativas e diversificadas de sempre da história de música popular tem mantido Nik Kershaw constantemente nos palcos, tanto a solo em versão acústica, como acompanhado por uma excelente banda. É com esta segunda versão que regressa a Portugal na primavera de 2018 para 2 concertos nos Coliseus. Dias 8 de Março em Lisboa e 9 de Março no Porto, Nik Kershaw ao vivo.