YoLaTengo

Yo La Tengo trazem o “motim” ao Porto.

Yo La Tengo trazem o “motim” ao Porto.

Paulo Inácio
Paulo Inácio
A frase “without music, life would be a mistake” é sintomática da importância da musica no meu mundo.
Os Yo La Tengo estiveram no Hard-Club, para apresentarem o seu mais recente álbum - "There’s a Riot Going On".

Armados com os seus inúmeros instrumentos, os três membros Ira Kaplan (guitarra, piano e voz), Georgia Hubley (bateria, sintetizadores e voz) e James McNew (baixo/contrabaixo, sintetizadores, percussão e voz) entraram em placo, alguns minutos depois das 21h.

O palco encontrava-se decorado com um largo número de vinis, todos com padrões diferentes, suspensos sobre a banda.

© Teresa Mesquita

Quem conhece a banda, sabe que para um dos concertos, é criada uma nova setlist, incluindo sempre um conjunto de músicas diferentes. E com tantos álbuns no seu reportório, não faltam opções para fazê-lo.

Embora a banda nunca tenha virado as costas à melodia, sua capacidade de se aventurar no meio do ruído aumentou com o passar das décadas. Com a guitarra de Ira tão desequilibrada como sempre e a seção rítmica de Georgia e James, adicionando novas camadas. A bateria ao vivo é frequentemente combinada com loops e samples acionados e, quando não é, é duplicada pela percussão ao vivo.

Os três elementos da banda alternam instrumentos em quase todas as músicas e por vezes até no meio de uma música. A forma simples, como o fazem, é reveladora da confiança que têm uns nos outros.

© Teresa Mesquita

O concerto teve dois sets distintos.

No primeiro set, para um ambiente mais intimista, composto por temas calmos e serenos, mostra o quão importante é o elemento rítmico no trabalho da banda.

O segundo set, mais elétrico, a banda no estilo shoegaze, que teve o seu pico nos primórdios da década de 90, e com muitos decibéis à mistura.

© Teresa Mesquita

A performance foi igual a uma orquestração em camadas, em que o publico se manteve silencioso, em total respeito pelos seus ídolos musicais. Manifestando o seu agrado, no final de cada peça.

Em suma, um concerto em que a banda esteve na plenitude das suas capacidades, mantendo o nível elevado de concertos anteriores e não defraudaram as expectativas dos presentes.

Yo La Tengo – galeria completa

Paulo Inácio
Paulo Inácio
A frase “without music, life would be a mistake” é sintomática da importância da musica no meu mundo.