AS 50 SUSPEITAS de Paula Daniel

AS 50 SUSPEITAS de Paula Daniel

KALEIDOSCÓPIO. Olá suspeitos, Não sei se vou conseguir escrever na mesma afinação do João Barbosa, mas vou tentar explicar a importância que a música tem para mim como entretenimento e como forma de expressão na minha vida. Como podem constatar a minha playlist não é nenhum meteorito de novidades mas reflete algumas sonoridades da minha preferência. De todas, destaco Cocteau Twins com 211 fic-flacs encarpados à retaguarda sem sair do mesmo sítio! A expressão máxima da minha emoção. Um ícone de referência elevado à categoria de divindade. Emoção tensa. O fascínio. Esta, foi a minha primeira paixão musical a sério! Depois, vieram outras paixões e outros frissons que mais do que fazerem parte da minha vida, lhe deram e continuam a dar sentido. Com muita pena minha o prazer de ouvir música para ouvir música é quase um luxo. Ouço música enquanto conduzo, enquanto trabalho, quando chego a casa, quando cozinho aquela receita prática do chef Avillez, mas é cada vez mais difícil ter tempo para unicamente ouvir música. Meaning: fechar os olhos, esquecer a visão como espécie mediadora e ficar com a música entregue a uma construção mais intuitiva, mais minha. Faço-o sempre que posso, mas sabe-me sempre a pouco! Várias formas de ouvir música. Concertos, são para mim mais uma forma de divertimento do que uma forma de audição pura. São momentos de partilha de gostos, são momentos de prazer, de adrenalina, de adoração à banda, de curiosidade por determinada banda, são sem dúvida, um ritual obrigatório para todos os apaixonados por música…mas tenho que admitir que sou viciada naquele resultado final, perfeito, colado nos meus ouvidos! Não quero que pensem com isto que pertenço ao grupo dos passivos ou que prefiro sentir a música como uma espécie de realidade acética. Nada disso! Mas não posso negar que faço parte da lista dos melómanos “headphonódependentes” no volume máximo! Ok…e dos concertos também, mesmo quando saio de lá com aquela sensação que levei com uma valente “agressão sonora” em cima. Resumindo, se por um lado a música é uma forma de comunicação, uma linguagem universal, entretenimento, divertimento, construção social, conexão com os outros ou com os próprios artista, outras há em que a sinto de uma forma mais especial, mais “minha”, mais espiritual e transcendente, mais ligada ao imaterial, à memória, ao cheiro…ou se quisermos, àquela linguagem que legitimamente e quase de forma egoísta chamamos a nós mesmos. É aqui que entra a minha religião, porque a música é (para mim) um substituto da religião. Digamos que é a minha forma de “conhecimento humano” e a que que me faz de uma forma mais simples, aceder a uma realidade superior. Fácil de entender e difícil de explicar! Obviamente que depende da música que estou a ouvir. Com Radiohead acontece-me muitas vezes isto, mas já não posso dizer o mesmo relativamente às valsas de Johann Strauss ou à Maria Leal… sem qualquer desprezo pela música erudita ou pelo folclore. Enfim, música é tudo isto mais uns calções de licra e uma blusinha d’alças! Vénia a quem se lembrou de criar este espaço de partilha musical e obrigada a todos.

Paula Daniel

ÁREA SUSPEITA by
SUSpeitos+mr+november-6

A Cosmic Burger faz reset

Tendo em mente o mote do 2020 World Economic Forum, a Cosmic Burger decidiu anunciar o seu próprio great reset – a necessidade de espalhar esta nova mensagem numa tentativa de pôr fim a equívocos sobre aquilo que é.

NOTÍCIAS SUSPEITAS

Quarto INDIECASSOM na Veep Radio

Amanhã às 22:00 o Pedro Brás Marques apresenta “Indiecassom”, o magazine mensal d’Os Suspeitos na Veep Radio, com os novos trabalhos dos Dry Cleaning, London Grammar, Dinosaur Jr., Kero Kero Bonito, Ratboys e muitos mais.

21º SUSPEITOS DO COSTUME na Veep Radio

No 21º episódio dos Suspeitos do Costume, o Pedro Taveira interroga-se sobre se a relação entre a música e a fotografia será mais íntima do que imaginamos.

Terceiro INDIECASSOM na Veep Radio

Julien Baker, Jay-Jay Johansson, Arab Strap, Flyying Colours, Alice Phoebe Lou, Cave & Ellis, entre muitos outros no novo Indiecassom, apresentado pelo Pedro Brás Marques.

HEYPORTO VIBES na Hey Porto

‘HeyPorto Vibes’ é a coluna assinada pelo Suspeito Pedro Taveira em parceria com o jornal HeyPorto.
Saiu agora o 6° episódio.

AS 50 SUSPEITAS de Manuela Hora de Carvalho

Aflige-me o silêncio, demasiado silêncio, por isso não entendo o tempo e o espaço sem música. A música que nos situa nos momentos e nos conta os espaços, com sons, com ritmo, com tempo.

AS 50 SUSPEITAS de Paulo Barreto

Pegar na peça em bruto e desmontar, desconstruir, dissecar, baralhar e voltar a dar… Apreciar cada detalhe, cada beat, cada riff, cada loop, cada kick…

Menu

Bem-Vindo(a)!