SAMUEL ÚRIA leva Canções do Pós-Guerra a Lisboa e ao Porto

SAMUEL ÚRIA leva Canções do Pós-Guerra a Lisboa e ao Porto

Com apresentações agendadas para o Teatro Maria Matos, em Lisboa, a 3 e 4 de Maio, e no Auditório CCOP, no Porto a 6 e 7, foi recentemente aberta uma nova sessão na invicta para as 18h30 de dia 7.

Samuel Úria levará a palco “Canções do Pós-Guerra – Solo“, a edição especial do disco com seis novas gravações revelada há um mês.

Com apresentações agendadas para o Teatro Maria Matos, em Lisboa, a 3 e 4 de Maio, e no Auditório CCOP, no Porto a 6 e 7, foi recentemente aberta uma nova sessão na invicta para as 18h30 de dia 7, dando mais uma possibilidade ao público nortenho para assistir a estes concertos especiais. As sessões inicialmente anunciadas encontram-se esgotadas. Nestes concertos haverá recolha de contribuições para a União Audiovisual.

«Talvez a lógica pareça retorcida, mas para escapar à solidão do confinamento entreguei-me à solidão do estúdio. Em cada faixa gravada, só uma voz, só um instrumento nas mãos – canções tal como no dia em que nasceram, ou tal como nos tempos em que me povoavam os concertos a solo. Foi sempre nessa fórmula solitária que encontrei o público mais solidário. Agora em cada faixa gravada, só uma voz, só um instrumento nas mãos, só a perspectiva de muitos ouvidos.» – Samuel Úria.

Também nestes concertos estará acessível a cassete áudio que junta, literalmente em fita, as seis novas gravações – interpretações inéditas de “Cantiga de Abrigo“, um original seu composto para Ana Moura; “Sinais“, a parceria com Hélder Gonçalves para os Clã; uma versão de “Amor Conforme” de Márcia; e reinterpretações de “Guerra e Paz“, “Fica Aquém” e “A Contenção“, algumas das canções âncora de “Canções do Pós-Guerra”.

Recentemente, o canal televisivo SIC estreou a série “Prisão Domiciliária”, a partir de um guião original de João Miguel Tavares, Tiago Pais, Rodrigo Nogueira e Catarina Moura, com produção da Santa Rita Filmes e realização de Patrícia Sequeira e com banda sonora de Samuel Úria. A colaboração de Samuel Úria na série estende-se ainda à participação em cena, vestindo a pele do personagem David Rebelo Morais. Aliás, a série inicia-se com um momento de confronto deste personagem com Álvaro Vieira Branco (protagonizado por Marco Delgado) a propósito de “Esta Balada Que Te Dou” de Armando Gama, à semelhança de”Still Crazy After All These Years” de Paul Simon. Ao nível da música, para além da inclusão de “O Muro“, “Tempo Aprazado“, “Cedo“, “Não Arrastes O Meu Caixão” e “Mãos“, é possível encontrar as gravações inéditas produzidas para este efeito, uma releitura do tema “Amor“, celebrizado na voz de Artur Garcia, e “Bicho Mau“, o genérico da série.

SAMUEL ÚRIA – “CANÇÕES DO PÓS-GUERRA – SOLO”
Lisboa / 3 e 4 de Maio / Teatro Maria Matos / 20h (esgotado)
Porto / 6 e 7 de Maio / Auditório CCOP / 20h30 (esgotado)

SESSÃO EXTRA PORTO
7 de Maio / 18H30 – LINK

Últimas Reportagens
Menu

Bem-Vindo(a)!