RODRIGO AMARANTE edita novo álbum “Drama”

RODRIGO AMARANTE edita novo álbum “Drama”

O novo álbum “Drama” dá mote à digressão que passa por Portugal, a 18 de Abril 2022 na Casa da Música, no Porto, e a 19 de Abril 2022 no Capitólio, em Lisboa.

«Drama é um disco maravilhoso que encontra a paz num momento complexo, que transborda de deslumbramento no meio do doloroso caos que é estar vivo. Rodrigo Amarante tem o dom de fazer arte da vida, caminhando na confusão com gentileza, para se descobrir melhor a si próprio e aos outros.» 5⭐ in Time Out Portugal.

« (…) Rodrigo Amarante fazia falta nas nossas vidas, graças a este seu jeito pessoal de atravessar décadas de música em canções de uma fragilidade enternecedora. (…) Drama é, pois, um sublime atalho para aquilo que se passa na cabeça de Rodrigo Amarante. E dá vontade de ficar lá, esquecido, sem encontrar o caminho de volta.» 4,5in Ípsilon.

«Pintado em doces tons de aguarela, volta a alternar letras em português e inglês, e vai do tropical ‘Maré’ ao western indie ‘Sky Beneath’, passando pelas adoráveis ‘Tango’ e ‘I Can’t Wait’, reminiscentes da introspecção de ‘Cavalo’. Combinando esse ambiente embrionário com um lado mais lúdico, e acarinhando sempre a ideia de música “antiga” movida a cordas hiper-românticas (na belíssima ‘Tara’) e sopros cálidos (‘Eu Com Você’), Rodrigo Amarante nunca é, nas letras, abertamente político, mas revela-se coerente com uma mensagem de paz e entendimento do outro.» 4in Expresso.

«Uma das belezas de Drama é o convite para viver sem pressa. É feito por um brasileiro que tem a ginga natural do sotaque que o gerou, não dá para escapar desse brasileirismo no violão e na batida. Mas também é indie, como mandam as regras do rock anglo-saxónico, também é urbano, de quem anda de carro, de quem foge do calor, de quem vê a poluição pela janela. Mas tem sempre sol.»  in Observador.

Depois de revelar os temas Maré, “I Can’t Wait e Tango, Rodrigo Amarante lança o novo álbum “Drama”, que dá mote à digressão que em 2022 passa por Portugal, a 18 de Abril na Casa da Música, no Porto, e a 19 de Abril no Capitólio, em Lisboa. Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais.

«É relaxante abandonar a ilusão de verosimilhança e trazer à tona a confusão e a contradição daquilo com que tenho que trabalhar, esses contos, a memória. Esse é o som de ‘Drama’.», escreve Rodrigo Amarante.

Drama” começou a tomar forma no final de 2018, com a banda de Rodrigo Amarante – “LuckyPaul Taylor na bateria, o baixista Todd Dahlhoff, Andres Renteria na percussão e Amarante na guitarra. Ao longo do processo de composição e gravação em 2019, algumas músicas foram retiradas do fundo das gavetas e outras ideias surgiram. No início de 2020, com o álbum ainda por terminar, a pandemia impôs um lockdown em Los Angeles e Rodrigo Amarante viu-se sozinho, aproveitando para adicionar overdubs e misturar as canções com Noah Georgeson, embora os dois nunca estivessem na mesma sala.

Sem surpresa, o isolamento acabaria por ditar o som do álbum. «O bloqueio e a limitação produziram ótimas ideias. Comecei o álbum querendo focar no ritmo e na melodia, abandonar aquelas ricas progressões de acordes e modulações que herdei do Brasil e ser mais direto por um tempo. Enquanto escrevia, percebi que havia um gatilho para mim naquela tentativa, uma sombra do garoto de cabeça raspada que eu deveria ser, sugando-o. Em vez disso, abracei as complicações que herdei.»

Drama” termina com o piano e a voz de Amarante em “The End”. “Viver é cair” e perguntamo-nos: depois de todas as turbulências emocionais por que passou, será alguma mensagem de despedida? “Tudo vai bem”, responde Rodrigo Amarante. «Sussurrando. Você fica mais alto assim, as pessoas respondem melhor a um convite», e acrescenta: «Encarar o absurdo permanecendo gentil, estando aberto aos dons da confusão; é por isso que criamos essas ferramentas que são histórias e músicas, para nos ajudar a ver uns aos outros

Os menos versados na obra de Rodrigo Amarante lembrar-se-ão de “Tuyo”, a música da série Narcos da Netflix. Ou do álbum Little Joy. Talvez fiquem surpreendidos com os seus créditos na autoria de canções de Gal Costa, Norah Jones e Gilberto Gil. É possível que o tenham visto a tocar ao vivo com o super grupo brasileiro de samba Orquestra Imperial. Mas é sobretudo provável que se lembrem dele na mítica banda carioca indie Los Hermanos. Já para os que acham que conhecem tudo sobre Rodrigo Amarante, “Drama” vai trocar-lhes as voltas.

Últimas Reportagens
Menu

Bem-Vindo(a)!